top of page

Arquiteto, você sabe como PRECIFICAR em BASE TEMPO?

Atualizado: 1 de abr. de 2021



Se você é arquiteto ou designer, já deve ter percebido que existe um forte movimento para que você PARE DE COBRAR por METRO QUADRADO ou PERCENTUAL DE OBRA. Estes indicadores foram mal importados da realidade da construção civil e não permitem fazer a gestão efetiva de um escritório de projetos.

​Um escritório é fundamentalmente uma empresa de serviços e o seu principal insumo é o TEMPO dos profissionais que compõe a equipe, portanto é necessário precificar a partir da estimativa de tempo que cada perfil de colaborador do escritório vai dedicar a cada etapa do projeto e a partir desse indicativo gerir o projeto tentando garantir que não seja utilizado mais tempo do que foi previsto.

Esse modelo permite fazer o que chamamos de PREVISTO X REALIZADO e dispara um processo de aprendizado sobre o fluxo de produção do escritório, o que permite otimizar etapas e reduzir o retrabalho com base na descoberta das melhores práticas.

Isso é fazer GESTÃO DE PROJETOS EM BASE  TEMPO e nós preparamos um roteiro de precificação para você entender de vez como fazer isso em 7 passos simples.


PASSO A PASSO:


1. Encontre o custo hora folha por tipo de profissional [CHFP] da sua equipe. Para isso divida o valor médio do salário de cada cargo (coordenador de projetos, desenhista, estagiário...) pelo total de horas disponibilizado para o escritório.




2. Encontre o custo fixo rateado por hora [CFRH] dividindo o custo fixo total do escritório (aluguel, energia, telefone, internet... somando também os salários dos profissionais que não atuam diretamente nos projetos, tais como secretárias, serviços gerais...) pelo total de horas disponibilizado por todos os profissionais do escritório.




3. Encontre o custo hora total por tipo de profissional [CHTP]. Ele consiste na soma do valor do custo folha por tipo de  profissional [CFHP] ao custo fixo rateado por hora [CFRH].




4. Estime a quantidade de horas que cada tipo de profissional vai dedicar à cada etapa do projeto.



5. Some o total de horas que cada tipo de profissional vai dedicar ao projeto e multiplique pelo custo hora total por tipo de profissional [CHTP], conforme visto no item 3, pra encontrar o custo direto total [CDT].



6. Some ao custo direto total [CDT] os custos indiretos [CI] que você estima para o mesmo, tais como as terceirizações com levantamento arquitetônico ou renderização de imagens, etc. e encontre o custo total do projeto


Supondo que você leve um custo indireto [CI] de R$ 500,00, com terceirização de maquetes, essa conta ficaria assim:




7. Adicione ao custo total do projeto os Benefícios e Despesas Indiretas - BDI.

Considere, por exemplo, que você deverá pagar 10% de impostos e quer 20% de lucro nesse projeto, ou seja, 30% do preço do projeto dever ser reservado para essa finalidade.

Para chegar ao preço, portanto, você deve dividir o custo total pelo indicador percentual, de acordo com a fórmula descrita aqui.



Feito isso, é garantir que você não vai usar mais horas do que as previstas. Vira uma questão de gestão de tempo!


Ficou com alguma dúvida?

Registre suas dúvidas, inquietações e experiências abaixo. Nós vamos acompanhar e responder tudo!


463 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Escritório Luxuoso

Assine nossa newsletter e receba
conteúdo sobre gestão em seu email.

Deixe aqui seu COMENTÁRIO, DÚVIDA ou INSIGHT!

bottom of page