top of page

SEU PLANEJAMENTO 2023 COMEÇA QUANDO VOCÊ "APERTAR O PAUSE" EM 2022


Estamos no último trimestre de 2022!


Nesse ano você atendeu o tipo de cliente que desejava?


Você trabalhou com os tipos de projeto que gostaria?


Seu escritório faturou o quanto você imaginava?


Sua equipe está funcionando?


Todas as dimensões da sua vida estão cabendo na sua agenda?


Se você é o arquiteto à frente de um escritório de projetos, parar e se fazer esse tipo de pergunta, pode ser uma excelente forma de avaliar o ano que está acabando e um bom gatilho para começar um movimento de planejamento para 2023.


O que acontece com a maioria de nós é que deixamos o dia a dia nos levar sem que realizemos ações realmente conectadas com objetivos maiores e que poderiam levar nossas empresas para uma dimensão muito mais interessante.


A inércia é uma lei que extrapola a física, dispõe de um caráter psicológico, e funciona muito bem na nossa agenda - quase todos os dias todos nós fazemos mais do mesmo a partir do que se apresenta e não com base em onde queremos chegar.


Por mais que pareça simples, planejar e agir conforme o plano, é um movimento complexo. A base é extremamente racional - precisamos decidir aonde ir e imaginar as ações que nos levarão até lá, um passo de cada vez. Depois é alocar tempo e algum recurso para trilhar esse caminho e concretizar a visão estabelecida. O problema é que o principal inimigo desse processo se move de forma silenciosa e muito contundente. Nós nos acostumamos a chamá-lo de “cotidiano”. Todo dia você tem um problema urgente para resolver ou algo mais prazeroso para fazer e uma ou outra coisa te afasta do caminho que você traçou. Isso vale para o plano da sua empresa e para o seu plano de vida, sem falar que, na maioria das vezes, os dois estão absurdamente entrelaçados.


Que me perdoe o Zeca, mas você precisa parar de deixar “a vida te levar”.


Por mais irracional que isso possa parecer, a verdade é que somos capazes de passar muito tempo fazendo a mesma coisa, do mesmo jeito, sem parar para pensar em caminhos melhores. A tal da inércia!


Um bom começo, portanto, é justamente APERTAR O PAUSE, afastar-se um pouco do cotidiano, e analisar o que aconteceu em um determinado período (o último ano, por exemplo), anotando tudo o que funcionou e o que não funcionou. Volte às perguntas no começo deste texto e tente responder com o máximo de honestidade. Você vai perceber que elas estão conectadas com o que seria um ótimo passo a passo para um movimento de PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO:


1. Um bom planejamento começa com uma revisão de branding. Imagine que você é a sua empresa e responda às seguintes perguntas: quem é você, que mudança você quer provocar no mundo, que soluções você entrega, como você quer se posicionar no mercado, quais são os seus principais diferenciais, quem são os seus clientes ideais (as suas personas de trabalho), e que valores regem o seu comportamento? Isso vai te conectar com a sua essência e te colocar no lugar certo para começar o trabalho.


2. Transforme seu propósito, esse “movimento de mudança que você quer ver acontecer no mundo” em um mix objetivo de produtos e serviços. Considere que você precisa de produtos de mais fácil acesso, também chamados de produtos de entrada, para usar estrategicamente e se aproximar dos seus clientes em potencial; e de produtos principais, os quais devem ser a base do seu faturamento. Estabeleça um valor, uma forma de precificar e um modelo claro de cobrança para cada um dos seus serviços. Seja muito específico. Isso vai te ajudar a definir que produto se adequa a cada tipo de cliente. Estabeleça um ticket médio para cada um dos seus produtos e imagine o quanto de cada um deles você pode entregar a cada trimestre. Escolha o que você quer vender mais, escolha os produtos nos quais você vai se concentrar. Isso vai te dar uma noção de meta anual e já vai permitir que você reflita sobre a sua estrutura - será que você está precisando de mais ou menos espaço, de mais ou menos pessoas, de mais ou menos equipamento, de um novo formato de trabalho etc.


3. Olhe para o mundo lá fora, se informe, analise relatórios de tendências de instituições sérias, pense sobre o que está acontecendo e imagine como os movimentos previstos para o próximo ano podem interferir no seu negócio - a copa do mundo, o novo presidente, a possível guerra, as tecnologias que estão despontando no horizonte… Imagine, dentro deste contexto, quem vai precisar mais dos seus serviços e quem não vai precisar. Pense criativamente em novas formas de empacotar e apresentar os seus produtos e em como acessar os clientes que você considera interessantes. Defina que ondas (que tendências) você quer pegar e as que você vai deixar passar. Tente desenhar como a sua empresa vai estar operando no horizonte do seu planejamento, escreva a visão de futuro que você pretende perseguir com o seu plano.


4. Uma vez que você sabe aonde quer ir, o que vender, para quem e o quanto, e já tem uma ideia mais clara do terreno pelo qual você pretende se movimentar ao encontro da sua visão, é hora de deixar a criatividade fluir e imaginar o que você pode efetivamente fazer para atingir os seus objetivos. Elabore um plano de ação que se estenda no tempo. Existem basicamente dois tipos de ação: as de estruturação, voltadas para dentro da organização, e as de captação de clientes, voltadas para o mercado. Pensando na sua empresa da porta para dentro, imagine tudo que precisa melhorar - pessoas, espaço físico, equipamentos etc. Agora, pensando em como trazer os clientes certos, imagine como se aproximar de parceiros relevantes - defina o approach que você vai utilizar para chegar em cada um eles através de uma prospecção ativa; defina os veículos de comunicação que você vai utilizar (revistas, Instagram etc.) e o tipo de ação de comunicação que você vai empreender; pense nos tipos de evento que você pode realizar, na internet e fora dela, para atrair o seu público. Todas as ações devem ser alocadas na sua agenda, em uma sequência lógica, que lhe permita cuidar do dia a dia e do seu futuro, intercaladamente, semanda a semana, mês a mês. Muitas vezes um único objetivo depende do sequenciamento correto de dezenas de ações. Às vezes você precisa estruturar um setor para só depois realizar uma ação de comunicação, portanto muitas vezes esses dois tipos de ação aparecem interpolados no seu plano. Aprenda a trabalhar com uma timeline, defina o que é de sua responsabilidade direta e aquilo que você vai delegar. Estabeleça momentos para acompanhar as entregas das tarefas que foram delegadas e passe a respeitar sobremaneira os compromissos que você colocou na sua própria agenda. Lembre de que cada pequena ação é importante dentro da sequência que você estabeleceu e não deixe as urgências do dia a dia passar por cima das ações do seu plano.


5. E por último: transforme tudo em dinheiro. Faça as contas e imagine quanto você precisa para realizar cada uma das ações que você pensou. Talvez você perceba que não tenha verba para fazer tudo o que imaginou. Se isso acontecer, diminua a velocidade. Se programe para realizar primeiro as ações menores e mais em conta e que vão te permitir acumular o dinheiro necessário para realizar as grandes. Lembre-se que quase sempre existe um jeito mais barato de atingir o mesmo objetivo. Para pra pensar, converse com gente, use a sua criatividade e vá estabelecendo gatilhos de investimento - vamos fazer isso depois que montarmos um caixa de tantos Reais - e de desinvestimento também, para quando as coisas não forem tão bem - se o caixa baixar a tanto, vamos nos livrar de tal custo fixo. Ter essas ações engatilhadas possibilidade que você pense melhor sobre o dinheiro que você ganha e sobre como transformá-lo em mais dinheiro.


Pois bem, como dissemos lá em cima: planejar é complexo, mas é esse movimento que te ajudar a parar e pensar de forma madura sobre o lugar para onde você está indo.


E aí, você está no caminho certo?



110 visualizações0 comentário

Comments


Escritório Luxuoso

Assine nossa newsletter e receba
conteúdo sobre gestão em seu email.

Deixe aqui seu COMENTÁRIO, DÚVIDA ou INSIGHT!

bottom of page